Temporal dá lugar a espetáculo no céu em Nova Venécia

O CÉU se transformou em um espetáculo que fascinou a população. Foto: Leria Marquette.

O fim do dia desta quarta-feira prenunciava muita chuva em Nova Venécia e região. No entanto, a esperada tempestade não chegou, dando lugar a um espetáculo colorido no céu. Inicialmente, o “tempo” foi ficando branco, com uma iluminação diferente. Em seguida, o céu se coloriu de rosa e amarelo. As imagens foram registradas em vários lugares da Região Noroeste.

A luz solar não é amarela, nem vermelha, é branca. O branco resulta da soma das sete cores do arco-íris – o violeta, o azul, o anil, o verde, o amarelo, o laranja e o vermelho. Nós enxergamos o Sol com tonalidades diferentes, ao longo de um dia, porque a atmosfera filtra os seus raios, separando as cores. “A nossa percepção do Sol muda por causa das irregularidades na camada de ar que envolve a Terra e pela distância que a luz percorre na atmosfera”, explica o físico Henrique Fleming, da Universidade de São Paulo.

Existem partículas de poeira, poluição e gotículas d’água infiltradas entre as moléculas de gás que compõem a atmosfera. Quando o Sol está alto, as cores formadas por ondas de maior amplitude contornam essas partículas e as moléculas. Mas, as menores (o violeta, o azul e o anil) não conseguem se desviar e trombam, espalhando-se. Com isso, tingem o céu de azul e o Sol fica amarelo, que é a soma das cores restantes: o verde, o amarelo, o laranja e o vermelho. À medida que o Sol vai se pondo, seus raios têm que atravessar um pedaço maior da atmosfera, colidindo com mais obstáculos.

No crepúsculo, até as ondas longas, laranja e vermelho, acabam trombando e se desviando, avermelhando gradativamente o horizonte (embora o resto do céu continue azul). A vermelha é a última onda de luz que consegue cruzar a atmosfera e nos atingir, por isso o astro-rei fica vermelho no pôr-do-sol. Por fim, o céu fica preto com a ausência de luz: não chega mais nenhuma cor e nem se vê mais nenhum espalhamento, pois o Sol está abaixo do horizonte.

Note que isso ocorre sempre ao amanhecer ou ao entardecer então isso quer dizer que os raios solares estão num ângulo menor que aproximados 30 graus e durante o dia estão em ângulos maiores que 30, por isto a quantidade (comprimento) de atmosfera durante o dia que o raio solar precisa atravessar é menor que ao entardecer e ao amanhecer, neste caso a refração da luz solar deixa o céu azul e no outro caso quando a luz atravessa um maior comprimento de onda a refração deixa o céu com tom avermelhado e note que esse avermelhado sempre ocorre somente no horizonte visual e não quando olhamos na vertical.

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.