Pesquisadores criam pílula que cura a ressaca

Pesquisadores da Universidade da Califórnia podem ter encontrado a solução para um dos maiores problemas da vida adulta: a ressaca. Um projeto liderado pelo professor de Engenharia Química e Biomolecular, Yunfeng Lu, conseguiu criar uma espécie de “pílula anti-ressaca”.

“Entre 8 e 10% dos atendimentos de emergência nos Estados Unidos são causados por envenenamento agudo por álcool. Ele é o principal fator de risco para mortes prematuras em pessoas de 15 a 49 anos e seu abuso leva a sérios problemas de saúde, incluindo câncer vascular e hepático”, explica o professor, em uma coluna no site IFLScience.

Lu explica que o objetivo era criar uma solução para as pessoas que sofrem de ressacas e, ao mesmo tempo, uma maneira de ajudar pessoas vítimas de excesso de álcool no corpo. “Criamos cápsulas cheias de enzimas naturais, normalmente encontradas nas células do fígado, para ajudar o corpo a processar o álcool mais rapidamente”, detalha.

O pesquisador informa que ele e sua equipe escolheram três enzimas capazes de converter o álcool em outras móleculas, que não fazem mal e são eliminadas pelo corpo. Cada uma das enzimas foi envolvida em uma espécie de concha, utilizando materiais já aprovados na criação de pílulas pelo FDA, órgão dos EUA responsável pela fiscalização do setor.

Testes realizados com ratos de laboratórios bêbados mostraram que a concentração de álcool no sangue dos animais caiu 45% em apenas quatro horas, ao contrário do que aconteceu com animais alcoolizados que não receberam as pílulas.

Os roedores também conseguiram acordar mais cedo e mais bem dispostos do que o outro grupo, o que indica que os efeitos podem ajudar as pessoas. “No momento, estamos completando testes para garantir que nossas pílulas sejam seguras e não desencadeiem efeitos colaterais inesperados ou perigosos. Se nossos tratamentos se mostrarem eficazes em animais, poderemos iniciar ensaios clínicos em humanos em apenas um ano”, relata o professor.

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.