Coluna exclusiva do Jornal Correio9 – Sangria (09/05/2018)

Quebrando o Tabu
Nestes últimos dias, a página do Facebook, “Quebrando o Tabu” (uma das maiores do país, com 8,7 milhões de seguidores) compartilhou um vídeo comparando a polícia do Canadá com a do Brasil. Nas duas ações, canadense e brasileira, é possível notar uma “pequena” diferença nas atitudes policiais.

Tiros
O vídeo mostra um policial do Canadá rendendo um homem, sem o uso da força, mesmo após ele ter matado dez pessoas. Já os policiais do Brasil, mais especificamente, aparecem no vídeo puxando um cidadão e logo após realizando disparos no meio da rua.

Onde?
O vídeo da polícia brasileira foi feito aqui em Nova Venécia, na tarde do dia 22 de abril, durante ação de policiais militares no Bairro Altoé, e gerou muita repercussão em Nova Venécia.

A PM explicou
Na ocasião, a Polícia emitiu uma nota explicando a situação. O texto diz que os tiros foram direcionados a um dos suspeitos que estavam sendo procurados, como uma resposta a disparos que, supostamente, teriam sido efetuados contra a guarnição.

Comparação
O mais interessante, da publicação, são os comentários dos internautas. A maioria comenta como se estivessem falando de realidades semelhantes, sem levar em conta as condições e estruturas da polícia canadense. Lá existe uma política de Estado para a Segurança Pública. Lá a polícia tem apoio e condições de trabalho.

E Aqui?
Para começar, o salário do policial é baixo para o que se exige dele. Os equipamentos, em geral, estão sucateados. Faltam itens básicos como coletes a prova de balas. Muitas vezes são levados a usar coletes e munições vencidas, além de armas sem manutenção. Soma-se a isso a tensão inerente à função e o incipiente apoio psicológico.

O “X” da Questão
O fulcro do problema é que o Brasil encarcera muito e encarcera mal. O país adotou uma política de guerra às drogas, prendendo pessoas indiscriminadamente. Se um adolescente, ou um jovem é preso como contraventor, o Estado o confina nas universidades do crime. Não é pelo encarceramento que se causa melhoria da segurança.

A Origem
A Constituição Federal não diz o que é “Segurança Pública”, nenhuma lei diz que segurança pública é proteger a população ou investigar criminoso, só diz por quem a segurança vai ser exercida. Então segurança é um conceito criado no dia a dia da atividade policial.

A Lógica!
Ao olhar para as instituições policiais da atualidade, é possível perceber que elas se fundamentam em um conceito, estático, de segurança, que é a manutenção de um modelo de ordem pública, de uma situação em que o Brasil tem um inimigo interno. A lógica é que o tráfico é o inimigo a ser combatido, deixando de lado uma série de problemas ligados à preservação da vida.

O Que É Segurança?
Um bom conceito de segurança pública seria a prevenção, investigação e punição de responsáveis por atos de violência e criminalidade e administração de conflitos para garantir direitos básicos da população para que ela possa exercer outros direitos da cidadania, como sair de casa, frequentar a escola, ir trabalhar e estar em segurança, em casa e em locais públicos.

Não Dá!
Sem uma política de Estado, a coisa não vai mudar. O Estado brasileiro precisa definir o que é segurança. Além disso, é preciso entender que a polícia é parte do sistema de segurança, não o sistema em si. O Estado precisa levar a polícia a sério.

É Uma Sereia?
A primeira-dama Marcela Temer se jogou na água de roupa e tudo há duas semanas no Lago Paranoá, próximo ao Palácio da Alvorada, para resgatar seu cachorro Picolly. Os veterinários da Presidência declararam que o cachorro “tentou o suicídio”, pois, estava deprimido por ter que conviver com o presidente Michel Temer. O caso aconteceu no mês de abril, mas só veio a público nesta semana.

Afastada
O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) decidiu afastar uma agente de suas funções depois que a funcionária não ajudou a primeira-dama a socorrer seu cachorro. O GSI enxergou, no episódio, uma situação que poderia ter colocado em risco a integridade física da Marcela. Diante do caso, a agente foi deslocada para outra função no GSI, em Brasília.

Definido
Nesta terça-feira, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa (PSB) bateu o martelo. Ele afirmou, em sua conta no Twitter, que não será candidato à Presidência.

A Declaração
“Está decidido. Após várias semanas de muita reflexão, finalmente cheguei a uma conclusão. Não pretendo ser candidato a Presidente da República. Decisão estritamente pessoal”, escreveu o ex-ministro do STF.

Biel
O vereador veneciano Biel da Farmácia anunciou que não é mais o líder do prefeito Barrigueira na Câmara de Nova Venécia. O edil deixou o cargo para se dedicar aos seus projetos políticos, leia-se: a campanha de deputado estadual nas eleições deste ano. Até o fechamento desta edição, Barrigueira ainda não sabia da decisão de Biel. Em breve o chefe do Executivo veneciano deve anunciar quem será o seu novo líder na Casa de Leis.

DesfalqueNesta terça-feira (08) o gerente do Idaf em Nova Venécia, Thales Lacerda Santos, esteve na redação do Correio9 para comunicar o seu desligamento do GIM (Grupo de Inteligência Municipal). Thales pediu para sair do grupo alegando ‘divergências ideológicas’. Ele agradece aos membros pela oportunidade oferecida e pela experiência conquistada durante o tempo em que permaneceu no GIM. Agradece ainda a todos os vereadores, que compreendem o trabalho realizado pela equipe.

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.