“Bandinha da Barra” chega aos 80 anos esbanjando saúde e alegria

A banda percorre as ruas da cidade levando alegria aos barrenses e aos muitos turistas que frequentam o balneário.

Kim Campos (Correio9)


CENTENAS de pessoas costumam acompanhar o percurso da banda.

Em Conceição da Barra a alegria nas ruas começa cedo nos fins de semana do verão e agora, em todos os dias do carnaval que se aproxima. Por volta das 19h45h, integrantes da Bandinha da Barra já afiam seus instrumentos para percorrerem as ruas da cidade levando alegria aos barrenses e aos muitos turistas que frequentam o balneário.

A banda, que se tornou um ícone da cultura e da tradição na região carrega em seus 80 anos de vida muitas alegrias e histórias na mente de quem um dia e ainda o faz, dançou ao som de suas melodias.

TRADIÇÃO que marca a beleza do carnaval da Barra.

Antes, porém, de falar da Bandinha em si é salutar citar que a Bandinha da Barra é fruto da Sociedade Banda Musical Oliveira Filho, fundada em 1882 por Bernardino José de Oliveira, sendo que em 1931 a mesma passou a ter personalidade Jurídica.

A BANDA se tornou um ícone da cultura na região.

A partir daí, vendo a necessidade de criar um grupo musical para alegrar os carnavais no município, entrou em cena o músico, compositor, maestro e professor de música Adolpho Barbosa Serra, que criou a ‘bandinha da barra’ a qual fez parte por 52 anos.

Basicamente formada por músicos da instituição, a organização já teve vários nomes fantasia. Hoje, para se referir à Banda de Carnaval, de forma carinhosa recebeu dos turistas a denominação “Bandinha da Barra”, nome aceito pelos integrantes.

OS INSTRUMENTOS de sopro fazem a alegria dos foliões.

Ex-aluna do maestro Serra, a atual presidente, regente e líder da Bandinha, Jovita Cunha, revela ao Correio9 que o trabalho é feito com muito amor pela divina arte e pela dedicação dos músicos que a compõem – ao todo a Sociedade Banda Musical Oliveira Filho conta com 21 músicos, sendo que 15 deles atuam diretamente na Bandinha.

Jovita explicou ainda que no início os músicos faziam o carnaval de rua por amor à arte e ganhavam apenas para fazer o carnaval de clube, que acontecia no antigo Dunas, espaço de festas em Conceição da Barra que não existe mais.

Com o tempo, os integrantes passaram a ser remunerados no carnaval de rua a partir da administração de Humberto de Oliveira Serra. A regente explica que os ensaios acontecem de forma esporádica, por conta dos integrantes, que possuem outra profissão e por isso não conjugam de tempo para reuniões pontuais.

Além de se apresentar nos finais de semana do verão e no carnaval (em 2018 a Bandinha percorrerá as ruas da cidade de quinta a terça-feira, com saída às 20 horas da sede, no centro), a Oliveira Filho participa de eventos sócio-cívico-religiosos durante o ano no município e municípios vizinhos quando convidada.

Para fazer parte da equipe da banda o interessado deve estudar música, participar da Sociedade Banda Musical Oliveira Filho e a partir daí passará por alguns critérios de avaliação para ser integrado.

“A música é vida e pela Sociedade Banda Musical Oliveira Filho todos aqui têm um amor que é eterno. É uma honra para todos nós dar continuidade a um trabalho iniciado pelo saudoso Mestre Adolpho Barbosa Serra, portando o instrumento musical junto aos colegas e alunos músicos para proporcionar alegria às famílias que nos visitam todos os anos no verão e carnaval. É muito gratificante. É uma felicidade sem fim”, finalizou Jovita.

COMPARTILHE

COMENTE