Romário admite candidatura a presidente da CBF

ROMÁRIO: defensor do futebol dentro e fora de campo.

O senador Romário (Podemos-RJ) afirmou nesta terça-feira que deseja se candidatar à presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), quatro dias depois de o presidente da entidade, Marco Polo Del Nero, ter sido suspenso por 90 dias pela Fifa.

Del Nero ficará afastado enquanto é investigado por suposta conduta antiética, e um dos vice-presidentes da CBF, Antônio Carlos Nunes de Lima, assumiu interinamente a presidência.

“Muitos me perguntam se eu sou candidato, afinal, ninguém mais lutou tão vigorosamente contra essa quadrilha e é legítimo que eu me candidate. Então, sim, a resposta é posso sim vir a ser candidato”, disse Romário em sua rede social.

“Tenho todos os pré-requisitos para isso. Toda minha contribuição para o futebol, dentro e fora de campo, são as minhas credenciais.”

O ex-atacante Romário comandou a seleção brasileira ao título da Copa do Mundo de 1994 e atualmente é senador e um dos maiores críticos dos dirigentes da CBF. Ele presidiu a CPI do Futebol, que há um ano pediu o indiciamento de Del Nero e dos ex-presidentes da CBF Ricardo Teixeira e José Maria Marin, entre outros, em um relatório paralelo apresentado ao colegiado.

Del Nero, que assumiu o cargo de presidente da CBF em 2015, está entre os 42 dirigentes de futebol e executivos de marketing esportivo indiciados nos Estados Unidos no mesmo ano em um escândalo de corrupção que provocou a maior crise da história da Fifa.

O dirigente de 76 anos nega qualquer irregularidade, afirmando que nunca recebeu “vantagens indevidas”.

Os dois predecessores imediatos de Del Nero, Marin e Teixeira, também estão entre os indiciados nos EUA. Marin está atualmente sendo julgado ao lado do ex-presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol Juan Napout e do ex-chefe do futebol peruano Manuel Burga.

Del Nero, ex-membro do comitê executivo da Fifa, tem mandato até 2018, após ter sido eleito sem oposição em uma eleição em 2014.

“Da forma como está o estatuto hoje, ninguém de fora da estrutura pode ser candidato. Não existe democracia na CBF. Os corruptos se protegem”, disse Romário, que também já manifestou a intenção de concorrer ao governo do Estado do Rio de Janeiro no ano que vem.

“Agora clamo a todos que amam o futebol e estão cansados de tanta sacanagem a se juntar a mim nessa causa”, acrescentou.

COMPARTILHE

COMENTE

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.