Profissionais da Saúde levam Campanha Nacional contra Hanseníase para escolas

PALESTRAS são feitas dentro das salas de aula.

A Secretaria Municipal de Saúde de Nova Venécia, por meio da gerência de Vigilância em Saúde (SVS), e em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, está promovendo a “Campanha Nacional de Hanseníase, Verminoses”, que tem como público alvo estudantes com faixa etária de 5 a 14 anos, matriculados nas escolas da Rede Municipal de Ensino.

As palestras são feitas dentro das salas de aula. O objetivo é expor sobre os sintomas da doença. A ideia é fazer com que o estudante posse a identificar os sinais da doença com antecedência, prevenindo com o diagnóstico precoce e tratamento imediato.

A Secretaria de Saúde fornece os medicamentos necessários durante para a realização da campanha. “Iniciamos os trabalhos na segunda semana de abril e vamos até o dia 25 deste mês. Estamos realizando essa mobilização para conscientizar o público a fazer o tratamento de verminoses, orientando a população contra a hanseníase. É importante que os pais autorizem a ação para que tenhamos um resultado positivo”, disse o enfermeiro Gabriel da Silva Dias, coordenador da Vigilância em Saúde.

Hanseníase

Para detecção de casos de hanseníase, a estratégia consiste na utilização da ficha de autoimagem que contempla sinais e sintomas sugestivos da doença. A ficha é entregue a cada aluno, a qual é preenchida pelos pais ou responsáveis e posteriormente devolvida à escola. As fichas são triadas pelos profissionais de saúde e os casos com suspeitas de hanseníase, encaminhados para avaliação e início do tratamento, caso confirmado o diagnóstico. Os contatos dos casos diagnosticados também devem ser examinados.

O diagnóstico e o tratamento da hanseníase são ofertados pelo SUS. Por isso, na última campanha publicitária lançada no início do ano, o Ministério da Saúde alerta a população sobre sinais e sintomas da doença com o objetivo de estimular a busca pelos serviços de saúde e mobilizar profissionais de saúde na busca ativa por casos novos.

COMPARTILHE

COMENTE