CRÍTICA CORREIO9: “O Sétimo Guardião”: uma trama sem graça

Eliana Maria Lemos


Em suas últimas semanas a novela O Sétimo Guardião, exibida no horário nobre, da Rede Globo, está em sentido contrário de outros folhetins. Ao invés de alavancar a audiência está perdendo telespectadores. Também pudera, o autor Aguinaldo Silva parece que esqueceu a própria receita para se escrever uma boa história e a cada capítulo a novela está mais chata e sem sentido. A trama principal envolvendo a fonte secreta e milagrosa e os sete guardiões já não tem graça, e para mantê-la, Aguinaldo e sua equipe lançou mão do velho chavão do ‘quem matou?’ Criou um serial killer para eliminar os membros da irmandade secreta. Até agora já assassinou três e tudo indica que mais dois devem morrer nos próximos capítulos. Eu, pessoalmente, não tenho a menor curiosidade para saber a identidade do matador.

O problema é que ao lançar mão desse recurso, o autor esvaziou, ou simplesmente esqueceu-se das tramas paralelas. Por exemplo, quando matou o delegado que usava calcinhas (Milhem Cortaz), ele sepultou, também, a mulher dele e seu desejo de ser atriz e toda a história envolvendo o filme que estava sendo feito pelo adolescente diretor Leonardo (Jaffar Bambira). Rita (Flavia Alessandra) saiu de Serro Azul sem saber que era o marido que financiou o projeto.

Outra história mal contada foi a do beato Jurandir (Paulo Miclos) e sua filha. No início ele vivia na igreja, proibindo a filha de tudo, quando se apaixonou pela Milu (Zezé Polessa) o personagem cresceu na trama, enfrentou a chata da Mirtes (Elisabete Savala) e passa a ter uma relação bonita com Elisa (Giullia Buscacio), deixa a filha namorar o sacristão em paz. Numa reviravolta sem pé nem cabeça o homem voltou pra estaca zero após ser alvo de uma fofoca na internet e vai embora da cidade deixando a filha menor sozinha aos cuidados de terceiros.

Luz (Marina Rui Barbosa) é outro tropeço da trama. A mocinha é insossa e muito cansativa. Não convence com o seu amor por Gabriel (Bruno Gagliasso) nem com seu noivado com Junior (José Loureto). Para piorar o mistério envolvendo seu nascimento, que poderia explicar muitas coisas, inclusive seus poderes intuitivos, foi revelado essa semana causando mais decepção ao público. A neta de Sóstenes (Marcos Caruso) é a filha desaparecida de Ondina (Ana Beatriz Nogueira) que até então ninguém sabia que existia. Um desfecho que não faz o menor sentido.

Durante toda a trama o autor deu a entender uma ligação muito forte entre Luz e Leon. Foi ela que o gato procurou pra salvar Gabriel. Quando chegou perto de Neide (Viviane Araujo) até então, sua suposta mãe, a moça chegou a ter uma vertigem, ou seja, ao longo da história o autor foi mostrando detalhes que indicavam o parentesco entre Leon/Murilo, Neide e Luz. Ele construiu uma situação e desconsiderou tudo pra criar um final nada a ver. Não se deu nem ao trabalho de imaginar algo mais criativo. Ondina encontra Luz e em seguida é assassinada. Coisa mais sem graça!!!!

Enfim, a novela que já estreou sob uma polêmica envolvendo a autoria da história – alunos da master class de Aguinaldo entraram na justiça pleiteando a coautoria da trama criada durante as aulas de roteiro ministrada por Silva – enfrentou vários problemas nos bastidores, com brigas entre os atores, chega na reta final com várias baixas no elenco e uma trama fraca que faz com que o telespectador se pergunte até quando vai ter de aguentar ‘O Sétimo Guardião’, doido pra ver o que tem ‘A Dona do Pedaço’, a sua substituta.

 

* A autora é jornalista, roteirista, escritora, pesquisadora

do Instituto Ipsos e articulista exclusiva do Jornal Correio9.

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here