Como preparar tudo para a volta às aulas dos pequenos?

Esta é a última semana de férias escolares. As aulas recomeçam na próxima segunda-feira, 05, e com elas, vêm a necessidade de organização para enfrentamento do ano letivo. Na volta às aulas, os pais devem dizer “não” aos modelos, de mochila, que, segundo fisioterapeutas e ergonomistas, podem pôr em risco coluna e musculatura dos estudantes. Você acha que seu filho carrega muito peso na mochila? Ao forçarem apenas um lado do corpo, as malas de rodinhas são prejudiciais à postura. Outro problema das mochilas de rodinhas é a estrutura delas, geralmente em metal, o que as torna mais pesadas. Na hora de subir e descer escadas, a criança faz um esforço muscular maior que o adequado.

Cuidado com o que eles carregam

Brinquedos, muitos estojos, canetinhas, cadernos pesados, álbuns de figurinha. Muita coisa além do material escolar. Os pais precisam ficar de olho no que os pequenos andam colocando nas costas. E ajudá-los a encontrar soluções. Uma sugestão é negociar com a escola a quantidade de livros que devem ser levados todo dia ou pedir armários na escola. Para os alunos menores, é bom que os pais vistoriem a mala todos os dias.

E se a criança insistir no modelo? A solução é instruir a criança a carregar o material corretamente: com as duas mãos para trás do corpo, para distribuir o peso. Para subir degraus, a mochila deve voltar para as costas, como se fosse uma mala convencional.

Peso ideal

Os bolsos também podem ser vilões da coluna das crianças. Apesar da impressão de que o material escolar ficará mais organizado, eles podem levar a criança a encher a mochila com objetos desnecessários – o que significa peso a mais.

Faltam estudos que relacionem o peso das mochilas a problemas ortopédicos, mas os especialistas apontam os riscos. A criança está se desenvolvendo e não deve fazer muita tensão em partes isoladas no corpo, para que não haja alteração no crescimento.

A matéria-prima da mochila também é outro fator a ser levado em conta: o melhor é optar por lonas finas ou emborrachadas. Além de agravar ou causar dores, o excesso de peso pode ter outras consequências na vida da criança.

O consenso entre especialistas para a melhor forma de transportar carga é junto ao corpo e de forma simétrica. Para as crianças, o ideal é levar a mochila com as duas alças nos ombros e presas com cinto abdominal, que permite maior estabilidade.

COMPARTILHE

COMENTE