Como funciona um jornal? Os bastidores da produção cotidiana do diário Correio9

O JORNAL começa a ser elaborado a partir das 8 horas da manhã.

AS MÁQUINAS recebem as chapas de alumínio, que são reproduzidas no material em papel.

 

Ao recebermos o jornal pronto, não sabemos como foi o processo pelo qual ele passou até chegar a cada leitor. Para quem faz a Redação do Correio9, é frequente ouvir perguntas como: o que sustenta o jornal? Como vocês descobrem certas coisas que ninguém mais ficou sabendo? Quem manda essas informações para vocês? Quanto custa a publicação de uma reportagem; tudo que sai é pago?

Afinal de contas, como funciona o universo do jornalismo diário? Fazer um jornal a cada dia requer uma técnica não tão conhecida da maioria das pessoas, mas, além da técnica, a produção de um jornal periódico significa praticar uma arte.

O jornal impresso opera nas 24 horas do dia, todos os dias da semana, todos os meses, o ano inteiro. É uma máquina que busca incessantemente aquilo que é noticioso e qualidade do seu produto: a informação.

O dramaturgo britânico Tom Stoppard, que, aos 17 anos, começou a trabalhar como repórter na redação do então Western Daily Press, de Bristol, no Reino Unido, cunhou a frase: “Eu ainda acredito que, sendo seu objetivo mudar o mundo, o jornalismo é uma das armas mais imediatas de curto prazo”. No entanto, esta frase poderia ser pronunciada por qualquer jornalista, ou por qualquer pessoa que conheça o que é trabalho jornalístico.

APÓS a montagem no programa Indesign, o arquivo em PDF segue para a impressão de chapa na máquina CTP.

“Escrever bem significa nunca ter que dizer eu acho que você precisaria estar lá”. Esta frase, atribuída a Jef Mallett, resume o desafio que é a entrega do produto final de um jornal. E este é o desafio diário proposto em cada página do Correio9 – contar a realidade dos acontecimentos a quem não é testemunha dos fatos, mas será afetado por eles.

O exercício do jornalismo estimula avanços, denuncia retrocessos, conta histórias de vida, de lutas e dramas. O jornalismo se propõe a guardar a memória do passado; a narrar a história em curso e a dialogar com o futuro. Tudo isso a partir de olhares e reflexões de quem trabalha como um “fiscal de tudo”.

Entre dezembro de 2018 e janeiro de 2019, o Correio9 passa por três pontos marcantes: 1) No dia 09 de dezembro ele completou 3 anos como jornal diário; 2) Nesta quarta-feira, 2 de janeiro, ele chega à edição nº 1.000; e 3) Em 24 de janeiro de 2019 ele completa 14 anos de fundação.

Pensando nisso, e na busca de responder às perguntas feitas no primeiro parágrafo deste texto, preparamos um roteiro de como funciona a rotina do jornal. A definição diária do Correio9 passa por cinco momentos principais: 1) Pauta do dia; 2) Apuração; 3) Edição; 4) Diagramação; e 5) Definição da “primeira página”. Nem todos os jornais funcionam assim, mas o processo é ‘quase’ o mesmo para a maioria dos periódicos.

TECNOLOGIA de ponta no parque gráfico é utilizada na impressão do Correio9.

 


 

O processo de construção, passo a passo, até o jornal chegar às mãos dos leitores

 

1. Pauta do dia
É o momento em que a equipe define quais são os assuntos da edição. Para isso, baseia-se nas sugestões enviadas pelos leitores e pelas fontes de cada membro da equipe. As fontes são informantes ‘secretos’ dos jornalistas, cada um tem os seus. Além das fontes, o jornal conta, também, com as assessorias institucionais, de órgãos públicos e empresas. Elas fornecem material constantemente.

2. Apuração
Se a informação for “quente” (se estiver acontecendo naquele momento), o repórter sai em busca dos fatos. No entanto, a apuração também pode ser feita por computador ou telefone. Depois da apuração, ele redige o material.

3. Edição
O texto passa para o editor-chefe. Ele define se a matéria está clara e com todos os dados necessários. O editor é o responsável pelo conteúdo a ser publicado.

4. Diagramação
Enquanto a equipe de reportagem apura as matérias, a equipe de diagramação já começa a definir o visual delas nas páginas. Para isso, conta com a colaboração do editor, que ajuda a estabelecer as notícias mais importantes (é o que chamamos de ‘hierarquização’ das reportagens). O trabalho do diagramador é como a montagem de um “quebra-cabeças”. É ele quem ‘encaixa’ tudo em cada página do jornal.

5. Primeira página
No fim do dia, depois de tudo apurado, a equipe se reúne na mesa de diagramação para definir a primeira página.

Site
Durante todo o dia, a equipe de ‘Redação Multimídia’, faz a atualização do site. Ela recebe material de toda a equipe e das assessorias.

DIAGRAMAÇÃO é realizada milimetricamente, semelhante a um quebra-cabeças.

 


 

Os 17 passos:

 

1
Às 8 horas, os primeiros jornalistas chegam à redação e dão início a ronda (busca por fatos na cidade, nas redes sociais e nos grupos de discussão que cada membro da equipe participa).

2
É feita a distribuição da pauta, com base em acontecimentos do dia ou agendas de cada editoria (geral, regional, economia…).

3
Cada um inicia a sua apuração.

4
Propostas de pautas de cada editoria são apresentadas numa reunião e confirmadas para publicação pela direção geral.

5
De volta à redação, os repórteres escrevem as reportagens e as encaminham ao editor-chefe.

6
Parte do material é preparada para publicação prévia na internet, antes do fim da edição do jornal do dia.

7
Os editores decidem o que, de fato, será publicado no dia seguinte, com base na relevância das reportagens e as ajustam ao espaço disponível em cada página, com ou sem anúncios publicitários, e encaminha o material para a diagramação.

8
Primeiramente, o diagramador dispõem os conteúdos que serão aplicados. É quando são definidas páginas, espaços de textos, fotos, ilustrações…

9
Após definidos os espaços, cada fotografia é revisada e retocada a fim de obter uma melhor definição.

10
Finalizada, cada página é submetida à uma rigorosa revisão (texto por texto, título por título, legenda por legenda).

11
Depois de prontas, as páginas são transformadas em um arquivo digital (PDF), e em seguida, este arquivo é encaminhado para a gráfica.

12
As páginas são liberadas em ‘blocos’ (o que chamamos de páginas casadas) para a gráfica, onde elas serão impressas. Primeiro ‘descem’ a 2 e a 7; depois, dependendo da circunstância, descem a 3 e a 6 ou a 4 e a 5. Por fim, depois são liberadas a 1 e a 8 (quando o jornal é de 8 páginas).

13
No local, são produzidas chapas de alumínio, com as áreas onde cada tinta deve ser aplicada em cada página para que a impressão resulte no material impresso.

14
A impressão das páginas não demora muito, pois o maquinário da gráfica é dos mais modernos do mercado. Em, no máximo, duas horas, a edição impressa está pronta.

15
Alguns exemplares são separados para o setor de arquivo que organiza a “memória” do Correio9.

16
Depois de impresso, o jornal passa a ser responsabilidade da equipe de distribuição, que leva o material aos recantos da cidade e realiza o ‘despacho’ dos malotes para outras cidades da região.

17
Os distribuidores ‘dividem’ a cidade e partem para a entrega. É assim que o jornal é feito! É assim que ele chega até você!

 

POR FIM, a equipe de distribuição entra em ação e o jornal chega até o leitor.

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here