Brasileira doa US$ 28 milhões para pesquisas sobre a síndrome de Down

A empresária Ana Lúcia Villela tem uma filha com a alteração genética.

A empresária brasileira Ana Lúcia Villela doou US$ 28 milhões (cerca de R$ 109,4 milhões) ao Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, com o objetivo de estimular o desenvolvimento de novas pesquisas sobre a síndrome de Down.

O interesse de Ana Lúcia pelo tema cresceu há seis anos, quando sua filha, então uma bebê de 10 dias, foi diagnosticada com síndrome de Down.

A empresária é acionista do Banco Itaú; fundadora do Instituto Alana, que promove o desenvolvimento integral de crianças; e sócia da produtora Maria Farinha Filmes, que discute problemas sociais e ambientais.

Com a aplicação do dinheiro doado para o MIT, será possível criar o Alana Down Syndrome Center, que reunirá profissionais para aprofundar os conhecimentos sobre a síndrome. A equipe será liderada por Angelika Amon, especialista em instabilidade cromossômica; e Li-Huei Tsai, estudiosa de doenças degenerativas, como Alzheimer.

A iniciativa ainda contará com um programa de tecnologia no qual os pesquisadores irão desenvolver mecanismos para ampliar a qualidade de vida das pessoas com deficiência. Além disso, serão distribuídas bolsas de estudos de pós-doutorado para pesquisas sobre síndrome de Down.

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here