A história do Zé Carioca

O FAMOSO papagaio é um típico malandro da Lapa (antigo bairro boêmio do Rio).

 

Nesta matéria vamos mostrar a história de um personagem animado que faz parte das memórias do Rio de Janeiro e do Brasil, o Zé Carioca.

 

No início dos anos 1940, Walt Disney, em visita ao Brasil, criou o desenho. Carioca da gema, o Zé foi desenhando dentro do hotel Copacabana Palace.

 

‘Joe Carioca’, como é chamado nos EUA, foi concebido em uma viagem de Disney e sua equipe à América do Sul durante a Segunda Guerra Mundial. Com o pretexto de ‘encontrar novos companheiros para o Pato Donald e o Pateta’, a excursão era, na verdade, movida por interesses políticos. Os Estados Unidos pretendiam aumentar suas relações comerciais no continente e, por tabela, afastar a ameaça de influência alemã nos governos da região”, contam Filipe Monteiro e Mariana Benjamin em um texto publicado na Revista de História.
A estreia de Zé Carioca foi em 1942, no filme “Alô, amigos” – “Saludos amigos”, no título original. O longa, que passou nos Estados Unidos no ano seguinte, narra um passeio turístico de Donald e Pateta (guiados por Zé) pelas paisagens de cinco países da América do Sul: Brasil, Argentina, Peru, Bolívia e Chile.

 

Zé Carioca foi inspirado, basicamente, em três pessoas. No cartunista J. Carlos – que colaborou nos primeiros rascunhos do personagem. O estilo (fraque, chapéu e guarda-chuva) veio do doutor Jacarandá, famoso no Rio de Janeiro daquela época. E, por incrível que pareça, o jeitão boêmio foi emprestado de um músico de São Paulo: José do Patrocínio de Oliveira, o Zezinho. Inclusive, o multi-instrumentista, que chegou a tocar com Pixinguinha, gravou a voz do papagaio carioca.

A ESTREIA de Zé Carioca foi no filme ‘Alô, Amigos’.

“Nas primeiras historietas, nosso herói se vestia como um típico malando da Lapa (antigo bairro boêmio do Rio): chapéu, terninho, gravatinha borboleta e sapato impecavelmente engraxado. Também andava sempre com um guarda-chuva (herança de uma figura muito conhecida das ruas do Rio na época: o Dr. Jacarandá). Com o passar dos anos, aquela indumentária saiu de moda (assim como o próprio malandro da Lapa desapareceu). Percebendo o anacronismo visual do personagem, o desenhista Herrero trocou seu paletó por uma camiseta. Mais mudanças aconteceriam pelas mãos de Canini: o desenhista gaúcho tirou-lhe o chapéu, gravata borboleta e o guarda-chuva, substituindo-os por um visual mais tropical. Apesar do novo visual, o simpático bicudo continuou com a mesma personalidade de sempre”, informa o Guia dos Quadrinhos.

 

As histórias nos quadrinhos começaram a ser publicadas na revista do Pato Donald, da Editora Abril, em 1950. A “carreira solo” teve início no ano 1961.

 

Zé Carioca, em 1945, ainda foi estrela de outro filme. “Você já foi à Bahia?” (The Three Caballeros), misturava desenho com atores de carne e osso. Zé surge ao lado do Pato Donald e da cantora Aurora Miranda, irmã de Carmen Miranda.

 

WALT DISNEY em Copacabana no início dos anos 40.
COMPARTILHE

COMENTE